Posts Tagged ‘ Dead Island ’

Dead Island: Riptide Review

xdeadisland-riptide-all-all-screenshot-centrodosgamesbr

Dead Island Foi um pouco estranho. A, campanha de marketing chamativo destaque desmentiu um jogo de zumbi familiar, suas raízes em Dead Rising e saqueadores armas pesadas, como Borderlands óbvias. Por toda a modéstia de seu combate, por todos os bugs e arestas, foi satisfatório. A infinita variedade de golpes, chutes, festanças, decapitações e desmembramento ficou repetitivo rápido, isso é verdade. Mas quando estava fresco, que trêmulo corpo a corpo em primeira pessoa ofereceu uma descarga de adrenalina que permanece viva.

A razão é tão vívida é porque eu estou jogando o mesmo jogo novamente em Dead Island Riptide, uma repetição sem inspiração e sem vergonha. Não só é menos satisfatório, mas qualquer satisfação obtida é feito de modo a contragosto, porque o jogo simplesmente não merece isso.

Acabar com o fechamento Mortos da Ilha como um facão no pescoço, Riptide pega com os quatro sobreviventes desorganizado de Banoi atirou na irmã, semelhante ilha zumbi atingidas de Palanoi. O conjunto imunológico é acompanhado por Aussie durão John Morgan, um personagem apenas memoráveis ​​graças a seu gosto por socos. Quanto à história, se você já assistiu algum filme de zumbi brega onde os militares se envolver, então você sabe mais ou menos como Riptide sacode. Isso seria bom se Riptide estava se esforçando para paródia ou homenagem, ou algo assim. Infelizmente, é simplesmente característica da abordagem irresponsável da Techland para este semi-sequela.

O pouco que é novo não é substancial. Pantanosas águas já pode ser negociado por um barco movido a motor, que é mais ou menos o carro, mas sobre a água, e com um botão de turbo. É bom para o que é em single-player, que é outra maneira de abalroar os mortos-vivos. Em co-op, no entanto, quando ele leva um tempo para carregar todos a bordo, a capacidade de ambos zumbi e jogador para correr em águas rasas faz usando o barco de um chore.

xdeadisland-riptide-all-all-screenshot-034-waterfall_599x337.jpg.pagespeed.ic.TdA6xivrQa
Um punhado de missões de defesa hub oferece mais de um shake-up, mas ainda é básico. Enxames de ataque de mortos-vivos do forte em todas as direções, enquanto os sobreviventes (humanos e AI) correr ao redor, batendo cabeça em como normal. As distrações estão a colocação de cercas elétricas para bloquear a entrada, colocando explosivos e lotação torres de metralhadoras. Mais uma vez, estas missões não são pobres, mas não há nenhuma variação para além dos dois primeiros ou assim. Mais importante ainda, em qualquer outra sequela eles estariam encobertos no ‘Novidades’ checklist. Eles são o tipo de afternote eu esperaria em DLC, ou talvez até mesmo um patch. Em Riptide, eles são sem dúvida os maiores acréscimos.

A ilha se esforça para imbuir ritmo, misturando-se os seus cenários, mas falta-lhe a personalidade de Banoi. Como o resto de Dead Island, Banoi era repetitivo, mas o seu pitoresco, motivo decadência que virou desastre amarrado na história e estilo. Em contraste, Palanoi tem variedade, mas é apenas a 50 Shades of Grenada, explicitamente tropical, mas sem substância.

Se o objetivo é fazer com que me sinto como se estivesse pegando onde Dead Island parou, então Riptide êxito. Depois de importar o meu personagem, a lâmina-brandindo Xian, vou logo passando e poda para o conteúdo do meu coração, e o retorno ao caos é divertido. No entanto, em breve, mesmo para além do idêntico zumbi cortar, eu estou percebendo exatamente os mesmos problemas que eu fiz antes.

xdeadisland-riptide-all-all-screenshot-centrodosgamesbr02

Saia de Xian, por exemplo, está rasgada na parte inferior, como você pode ver quando ela pula. Ele sempre parecia um pouco estranho em Dead Island, mais parecido com malha de arame de roupas danificado. Da mesma forma, os sapatos exibiu um salto duplo curioso que parecia muito errada. Você acha que nos últimos dois anos entre Dead Island Riptide e que alguém teria enfeitado seu modelo de personagem – talvez até mesmo fornecer roupas novas – especialmente considerando saltos e chutes são grandes partes de seu jogo. Você pensaria, mas você seria errado.

A preguiça em Riptide é generalizada. Eu não posso vender vários itens. Os modelos de personagens olham vidrados. A dublagem não consegue sincronizar com os movimentos da boca.

Ele vai além do que não foi alterado. O original Ilha Morto conseguiu não fedem de seus sistemas de jogos tradicionais, como XP, upgrades de armas, árvores de habilidades e assim por diante. Riptide, por outro lado, abraça a sua gameyness. A área de mercado alagado está cheio de semblante escadas que levam até o mesmo quarto com a mesma tabela de elaboração do mesmo maldito lugar. Assim, muitos locais são lave-and-repeat, de fato, e de tantas missões secundárias são quase idênticos. As pessoas que se encontram não são definidos para além de uma ou duas linhas de descartáveis, e você está apenas após a sua XP e dinheiro, na verdade. A coisa toda parece um MMO lo-fi.

Depois, há os erros. O jogo caiu várias vezes ao longo dos meus 30 ou mais horas de jogo em tempo. Mais do que algumas esquisitices surgiu, como chutes aéreos que me levou através do teto, ou grave desaceleração em determinadas áreas. Co-op, que é quando o jogo é mais agradável, aparentemente, vem com o risco adicional de reverter algumas das suas missões secundárias. Novamente, isso não é novidade para os jogadores Dead Island.

Este é o lugar onde é o lugar onde o reconhecimento relutante vem, porque a preguiça não o justificar: Riptide ainda é, como o mais vil dos níveis, agradável. Como Dead Island, antes disso, há uma satisfação proporcionada pelo ponto de vista ea constante, gemendo caos, coisas como metralhar um bandido gigante enquanto ele convulsiona aos furtos de seu facão choque avançada permanecem, de uma forma muito pura, satisfazendo.

Esses sistemas gamey que Riptide abraça ainda torná-lo procurados, embora em uma espécie de entorpecimento mental de forma. Muito parecido com um MMO, é fácil desligar como você tirar centenas e centenas de mortos-vivos, o tempo todo nivelando-se e ficando cada vez mais poderoso, armamento animar avançada. É robótica e é mudo, mas ainda é satisfatória.

Pelo menos, até certo ponto, e esse é o problema. Não há como fugir como Riptide sente como Ilha do Morto tempo perdido gêmeo, o que deveria ter ficado perdido. O jogo traz os mesmos genes e os mesmos defeitos, embora com pequenas diferenças. Que esses defeitos incluem erros e questões básicas como ouvir a mesma, o diálogo mal entregue repetido ad nauseam quando você entregar itens de quest – tente fazer isso por três minutos em linha reta – é espantosa.

Se, como um zumbi em Banoi, você foi absolutamente carente de carne fresca, em seguida, Riptide pode ser para você.

Anúncios

“Dead Island” custou menos de US$ 25 mi e vendeu 4 milhões de cópias, diz produtor

Durante a Game Developers Conference europeia, Guido Eickmeyer, produtor da Deep Silver, revelou que “Dead Island” já vendeu 4 milhões de cópias – e o multiplayer cooperativo do jogo contribuiu para isso.

“É por isso que conseguimos todas as análises positivas dos jogadores. É por isso que conseguimos um bom índice de audiência, porque é a experiência multiplayer cooperativa mais empolgante que está no mercado”, disse Eickmeyer.Dead Island

Segundo a Deep Silver, os jogadores já investiram aproximadamente 57 milhões de horas no multiplayer cooperativo do game (o que daria mais ou menos 6.500 anos de jogatina). O produtor revelou também que  “Dead Island” custou menos de US$ 25 milhões para ser feito, um valor bem menor que o de muitos games de peso que estão no mercado.

Terror na ilha

“Dead Island” é descrito como um “survival horror” não-linear com visão em primeira pessoa. Seu sistema de combate, promete a produtora, é realista, sendo possível utilizar o que estiver no ambiente como arma. Machados, canos e eletricidade são algumas das armas disponíveis.

Com esses equipamentos em mãos, o jogador pode explorar uma grande ilha, seja a pé ou com veículos. Dependendo das decisões tomadas a história pode ser modificada, gerando desdobramentos no enredo.

“Dead Island” está disponível para Xbox 360, PlayStation 3 e PC.

Dead Island

Zumbis também precisam de férias

Dead Island já fez história no mundo dos games. Sim, o game ainda nem chegou a ser lançado e, sinceramente, até o momento, tínhamos poucas informações sobre sua jogabilidade em geral. Mas graças a um trailer espetacular, a obra da Techland — a mesma equipe por trás da série Call of Juarez — conseguiu conquistar não somente ao público gamer, mas também a todos que se interessam por um bom filme e, principalmente, por zumbis.
Agora, chega a hora de conhecer um pouco mais sobre o apocalipse zumbi em perspectiva de primeira pessoa. Será que a obra final vai fazer jus ao excelente trailer que fez com que Dead Island ficasse famoso no mundo todo? É isso que você confere nesta prévia.
Ainda há esperança
Dead Island se passa numa espécie de paraíso tropical — que já não é mais tão “paraíso” assim. O belíssimo local acaba se transformando num verdadeiro pesadelo real, com pessoas em decomposição caminhando e se alimentando da carne de quem ainda tenta sobreviver.
Durante sua aventura, o jogador terá de controlar diversos personagens diferentes. Uma delas é Xian Mei, uma das ex-empregadas de um dos gigantescos hotéis do local. Aparentemente, Mei é extremamente habilidosa com as lâminas, já que carrega uma espécie de espada para acabar com os zumbis. Além da ágil donzela, você terá acesso a outros três heróis durante o game: um “fortão”, um líder e um cara capaz de resolver qualquer parada.
Sendo assim, não é um exagero comparar Dead Island com o ótimo Left 4 Dead, já que a proposta é bem parecida. Um dos diferenciais aqui é a interação com outras pessoas não infectadas, que podem ser encontradas em locais obscuros enquanto choram ou a céu aberto, lutando pela sobrevivência.
Img_normal
Mas, tome cuidado, pois existem muitos humanos que já não são mais tão humanos assim. Estamos falando dos zumbis, é claro. Os mortos-vivos estão por toda parte em Dead Island e é necessário um pouco de estratégia e cautela para finalizar essas criaturas sem sair infectado.
Conservando energia
Basicamente, o combate do game gira em torno da preservação de estamina (resistência). O jogador pode atacar, saltar, correr e realizar outras ações para dar um fim em uma ou várias criaturas. Entretanto, tudo isso consome energia de sua barra de estamina — você deve sempre manter os olhos nela para não ficar cansado quando não deve. Caso as coisas compliquem e seu personagem esteja exausto, você pode enchê-la novamente ao caminhar lentamente. Só tome cuidado, pois sem estamina você não pode nem ao mesmo se defender dos oponentes.
Uma boa tática para conservar energia é utilizar armas projéteis. O jogador tem a chance de lançar facas, machados e facões contra os zumbis, causando um ataque efetivo e que suga bem menos stamina do que as pancadas corporais. E o melhor: você pode retirar sua arma da cabeça dos cadáveres quando o trabalho estiver completo.
Img_normal
Infelizmente, existem momentos que nem facas, machados e espadas podem te salvar. E é aqui que você terá de utilizar as habilidades especiais dos personagens. No caso de Mei, a personagem apresenta o “fury”, que aumenta sua adrenalina e deixa a heroína extremamente furiosa, tornando-a mais ágil e forte e sem causar maior impacto na resistência. Você ainda vê contornos vermelhos nos inimigos para que nenhum deles possa escapar. Mas faça um bom uso dessa habilidade, já que ela demora em recarregar.
Do jeito que os fãs gostam
Um dos fatos mais bacanas de Dead Island é a variedade de tipos de zumbis. O jogo apresenta desde os clássicos mortos-vivos lentos até as criaturas que correm mais rápido do que maratonistas. Há ainda aberrações que surpreendem e podem causar um belo estrago em qualquer coisa que cruze o caminho.
E as missões? O título traz uma série de objetivos variados e alguns deles já se mostram bem criativos. Em um dos casos, o jogador deve ajudar um grupo de sobreviventes a parar o barulho causado por um sino da torre de uma igreja, que toca continuamente, chamando a atençã, chamando a atençcontinuamentecontinuamente e chaobreviventes a desligar seu caminho.orais. o de qualquer criatura que passe por perto. É claro que nem tudo será tão simples como deveria e você provavelmente vai encontrar zumbis ainda mais aterrorizantes em situações como essas — os famosos “chefões”.
Dead Island tem tudo para ser um excelente jogo de ação com boas doses de Survival Horror. Mesmo sendo um FPS, o título da Techland consegue trazer vários elementos característicos dos games clássicos que envolvem zumbis, incluindo até mesmo os saudosos mortos-vivos que não são tão ágeis. Além disso, espere por escassez de recursos e muita brutalidade na tela. O paraíso dos mortos chega ao Xbox 360, PlayStation 3 e PC no final deste ano. Fique ligado aqui no CentrodosGamesBr para mais entranhas… Ops, informações!

Dead Island Prévia

A Techland conseguiu relativa fama nos últimos anos com seus títulos da série Call of Juarez e o jogo de corrida Off-Road Nail’d. Aparentemente eles conseguiram se estabelecer no mercado, porque seu projeto atual é mais ambicioso que qualquer outro desses jogos.
Em Dead Island você joga com um dos quatro personagens selecionáveis(e com estilos de jogo diferentes) que está passando suas férias em um resort na ilha paradisíaca de Banoi. Após uma noitada, nosso protagonista descobre que está no meio de uma epidemia zumbi. Que 
ressaca.
O título, claramente tomando carona na onda de jogos de zumbis do mercado, tem uma jogabilidade em mundo aberto, como em Fallout e GTA; Missões são dadas em pontos específicos e você é livre para fazê-las quando quiser, ou se preferir pode explorar os mistérios tropicais da vastamente detalhada ilha de Banoi, desde suas cidades até suas selvas.
Espera-se que Dead Island terá um sistema de armas parecido com os jogos da série Dead Rising, com a diferença de que cada personagem terá que aprender a usar cada uma apropriadamente com o tempo. Não espere que seu personagem seja um mestre da katana ou um grande batedor de baseball logo de cara. Um sistema de árvore de skills. com novas habilidades e melhorias compraveis, se certificará de que seu personagem terá que progredir aos poucos. O motivo disso é um foco maior dado no jogo ao combate corpo a corpo com os mortos vivos. Armas de fogo serão mais raras no jogo, e suas armas podem quebrar a 
qualquer momento. É necessário improvisar constantemente.
Os gráficos são excelentes e lembram muito as ilhas do sul do pacífico de Just Cause 2. Horizontes lindos de mares e florestas mesclados com a multidão marrom de zumbis correndo em sua direção. O contraste das paletas mostra a dedicação que a Techland tem dado a arte do jogo
Como na outro franquia de zumbis com 4 personagens Left 4 Dead, haverá modo cooperativo de até quatro jogadores, e foi dito que não haverá problema em duas pessoas usarem o mesmo personagem assim como no sucesso de tiro em primeira pessoa Borderlands, o que 
 evitará brigas entre jogadores.
E sim, podemos esperar tipos diferentes de zumbis e muito, muito sangue e carne humana voando.
Dead Island sairá no final do ano para Xbox 360, PS3 e PC. Será que a Techland conseguirá cumprir todas as suas promessas e firmar esse jogo ambicioso entre as outras grandes empresas?