Arquivo para setembro \30\UTC 2011

Shank 2

Shank está voltando… E desta vez ele não está sozinho!

Quando Shank foi lançado no ano passado, o título recebeu muitos elogios por conta de seu visual bacana e pela sua jogabilidade simples, porém funcional. Contudo, esse mesmo último recurso também foi o responsável pelas críticas que o chamaram de repetitivo.
Não bastasse isso, o jogo também foi acusado de ser muito curto (algo que as suas seis horas de duração não ajudam a desmentir). Desse modo, Shank 2, previsto para ser lançado no começo do ano que vem, pretende resolver as suas falhas, além de adicionar novos elementos (como um modo multiplayer) para complementar a sua experiência.


Vocês não sabem o que aprendi nessas férias
O retorno de Shank traz de volta tudo aquilo que tornava o game agradável, como personagens carismáticos e um ar de homenagem aos filmes de ação que todos amamos. Desta vez, no entanto, o nosso herói tem algumas novas cartas na manga.
Além de mais armas para o seu arsenal, controlar Shank será muito mais fácil com o novo esquema de controles desenvolvido pela Klei Entertainment, o qual utiliza os analógicos para mirar com muito mais precisão.
Img_normal
Mas um movimento novo que realmente se destaca é o novo sistema de contra-ataque desenvolvido pelo herói. Ao pressionar um botão no tempo correto, Shank pode agora utilizar a arma de seus oponentes para acabar com eles e fazê-los se arrepender de suas ações. Não há restrições de uso à habilidade, que funciona até mesmo contra alguns dos chefes mais desafiadores (conquanto que o botão seja pressionado no tempo correto).
Assassino sim, sozinho jamais
Enquanto o primeiro Shank continha um pequeno modo multiplayer, ele não continha a campanha principal inteira e só podia ser jogado apenas localmente. Em sua sequência, um novo modo chamado Survival irá permitir que as pessoas joguem com seus amigos tanto localmente quanto online.
Img_normalNesse modo, os dois jogadores devem enfrentar hordas e mais hordas de inimigos enquanto atravessam diferentes mapas. Além disso, objetivos secundários, como impedir que os oponentes instalem bombas no local, podem estar presentes para tornar a experiência ainda mais desafiadora e divertida. Para tornar tudo ainda mais complicado, chefes mais poderosos aparecem de tempos em tempos para tentar acabar com a alegria dos jogadores.
Não há limite de tempo nesse modo, sendo que como o próprio nome sugere, só é preciso sobreviver. O grande problema, é claro, é conseguir fazer isso por um tempo maior que cinco minutos (de acordo com a equipe da Klei, o recorde interno da empresa é de 15 minutos de muita matança antes da queda dos heróis).
Enquanto isso, no entanto, resta apenas esperar a volta de Shank no PC, PlayStation 3 e Xbox 360 no começo do ano que vem.

Anúncios

Violência e sexo… Ou qualidade nos games?

Img_normal
Antes de continuar lendo este texto, vá até a sua prateleira de jogos e conte quantos títulos voltados para o público adulto existem lá. Caso você esteja próximo da idade média dos jogadores mundo afora (algo acima dos 30 anos de idade), é bem possível que exista uma boa quantidade de títulos abarrotados de sexo ou violência. A resposta fácil seria: títulos com conteúdos potencialmente imorais vendem melhor, em razão do apelo óbvio. Mas não parece ser exatamente esse o caso.
De fato, é necessário reconhecer que a indústria de games nunca vendeu tanto conteúdo adulto quanto atualmente. Conclusões subjetivas à parte, é exatamente isso que mostram os dados do ESRB (órgão de classificação etária) relativos aos títulos avaliados e lançados durante 2010. Confira o gráfico abaixo:
Fonte: ESRB
“Como assim, apenas 5% são títulos adultos?” Sim, mas um rápido cruzamento de dados pode revelar uma tendência interessante. Embora representem uma fatia relativamente pequena da pizza do ESRB, fato é que uma parte substancial das vendas em 2010 foi composta por títulos capazes de deixar os mais sensíveis corados ou enojados. Basta conferir a lista dos dez jogos mais vendidos em 2010 (abaixo) para perceber que cinco posições são ocupadas por jogos maduros.
  • Call of Duty: Black Ops
  • Madden NFL 11
  • Halo: Reach
  • New Super Mario Bros. Wii
  • Red Dead Redemption
  • Wii Fit Plus
  • Just Dance 2
  • Call of Duty: Modern Warfare 2
  • Assassin’s Creed: Brotherhood
  • NBA 2K11
De fato, vale ainda o mesmo raciocínio quando se contabilizam os jogos que venderam mais de um milhão de cópias no referido ano. “42 jogos venderam mais de um milhão de cópias em 2010, e desses, 27 eram E ou E10+; três eram Teen e 12 eram Mature [para públicos maduros”, afirmou a analista do NPD Anita Frazer ao site Arstechinca. De fato, mesmo representando apenas 5% do total de jogos avaliados pelo ESRB, é óbvio que, relativamente, jogos maduros tem mostrado um desempenho comercial superior… Mas o que poderia justificar essa “anomalia”?
Violência e sexo… Ou qualidade?Jogos bons vendem mais
Em 2009, algumas varejista no Reino Unido deixaram parte da população estarrecida. Eis o motivo: as lojas venderam jogos indicados aos públicos adultos para um sujeito de 14 anos que trabalhava disfarçado, justamente para levantar quantos comerciantes realmente levavam a classificação etária a sério. Por fim, de todas as lojas visitadas pelo adolescente, apenas quatro se negaram a vender o conteúdo moralmente ofensivo.
Ok, não se trata aqui de fazer apologia à venda de jogos adultos a adolescentes ou pré-adolescentes. Mas existe algo que é fato: essas pessoas normalmente dão um jeito de conquistar seu Call of Duty ou seu Grand Theft Auto. Seria simplesmente para garantir uma boa dose de violência e sexo semiexplícito? Não parece ser o caso.


Senão, volte rapidamente à lista dos títulos mais vendidos em 2010 (início deste texto). Sim, trata-se de títulos que se destacam entre uma imensa maioria de jogos recomendados para quase todas as idades, e certamente são jogos que contém algo de moralmente questionável.
Entretanto, além disso, coincidentemente, muita gente teria dificuldades para apresentar grandes defeitos em jogos como CoD: Black Ops e Assassin’s Creed: Brotherhood. O motivo para isso parece ser bastante simples. “O que essas boas vendas e essa avaliação nos diz? Coisas que nós já deveríamos saber: a histeria em torno da ideia de os video games destruírem a fibra moral da juventude americana é obviamente exagerada, e ninguém vai a uma loja pensando ‘eu vou comprar um jogo Mature hoje’!”, destacou um artigo do site Techland.
Img_normal
O redator continua: “assim como nos filmes, nos livros e na música, as pessoas tomam decisões de compra com base em conteúdo e qualidade.” Em outras palavras, é possível imaginar que jogos como Halo: Reach e Red Dead Redemption vendam simplesmente… Por que são bons.
Diversão casual = profundidade casual?Três vivas à liberdade para explorar temas!
Img_normalConcluir que qualquer jogo dito hardcore apoia-se em um universo imoral para construir uma experiência de jogo válida seria, é claro, apressado. De fato, não é difícil encontrar abordagens profundas e interessantes que trabalhem dentro de um limite moral razoável — basta se lembrar de Super Mario Galaxyou mesmo da franquia Final Fantasy.
Entretanto, parece difícil negar que a liberdade no tratamento de temas supostamente “imorais” ou “adultos” concede aos desenvolvedores certo espaço de manobra, permitindo a composição de cenários mais ricos e variados. GTA, por exemplo. O blockbuster maior da Rockstar vendeu horrores ao longo da sua história porque permitia que o jogador saísse com prostitutas virtuais e espalhasse sangue pelas ruas infringindo leis de trânsito? Talvez.
Entretanto, quem negaria que as possibilidades de toda uma cidade livre à exploração e cheia de histórias possíveis ajudou a compor o apelo das histórias de Tommy Vercetti e Cia. — além de dar origem a um novo gênero de jogos, o sandbox? Ou será que você só deixou de pular sobre plataformas e atirar em monstrinhos voadores durante algum tempo porque vislumbrou a possibilidade de sair atirando em um carro de polícia enquanto atropelava pedestres indefesos?


Enfim, ao que parece, os aficionados por games não buscam doses cada vez maiores de violência e imoralidade, mas sim qualidade e uma experiência tão profunda quanto duradoura — algo que normalmente não recebe muita atenção de um público mais voltado para doses de diversão ocasional e descomprometida.
Do contrário, provavelmente seria algo como reduzir as tiradas engraçadas e a trama bem urdida de algo como Red Dead Redemption à simples necessidade de descarregar um tambor de revólver em outro ser humano. Não… Esse definitivamente não parece ser o caso.

Banimentos da LIVE causados por falha de software serão revertidos

A Microsoft anunciou que começou um processo de reversão de uma série de banimentos na Xbox LIVE ocorridos entre os dias 29 de agosto e 9 de setembro. Segundo a fabricante do Xbox 360, a expulsão injusta de alguns usuários de sua rede online foi causada por um erro de software não especificado.
Stephen Toulouse, diretor de políticas da Xbox LIVE, afirmou que o período representou uma das “raras vezes em que um sistema automatizado foi usado” para fazer valer as regras da rede online. De acordo com ele, esse tipo de punição sempre é acompanhada por funcionários da empresa ou, pelo menos, conta com a supervisão deles.
Os usuários afetados, que em sua maioria residem nos Estados Unidos, receberão três meses grátis do serviço Xbox LIVE Gold e 1600 Microsoft Points.

[ATUALIZADO] Campanha viral de Uncharted 3 esconde tesouro em São Paulo e pede para que você o encontre


Lembra-se da campanha viral de Uncharted 3: Drake’s Deception que estava rolando no Brasil? Após o misterioso documento que promete revelar os segredos de Sir Francis Drake ter sido escondido em algum ponto da cidade de São Paulo, uma caça ao tesouro digna da franquia teve início.
Os prêmios para quem encontrar os objetos perdidos não foram revelados, embora a brincadeira já tenha citado a existência de um Xperia Play. Não se sabe se haverá mais brindes ou se o aguardado smartphone já é o suficiente.
De acordo com o site Mistério de Drake, feito especialmente para dar corpo à campanha de divulgação do game, três dicas serão liberadas ao longo desta sexta-feira, sendo que as duas primeiras já podem ser conferidas. Segundo a página, o enigma a seguir esconde uma senha de quatro dígitos:
P1r1 12r9r o 6538o, pr5st5 mu9t1 1t5n31o
01m19s po45r1 s5m um1 9n6orm131o
1 4931, no 9n939o, um1 0o91 01 45u
5 pr539so s125r qu1n4o o 4r171o p5r535u.
Já a segunda charada guarda duas palavras que serão fundamentais para localizar o tesouro.
A busca não finda encontrando o lugar
Pois há mais um mistério, uma esfinge a guardar
O fim que te fez nesse campo estar.
E se a esfinge, astuta, não quiser ajudar
Diga-lhe o nome da lenda do mar.
“Em que lugar viveu?” Ela irá replicar
E um genovês te fará relembrar
Que um lendário inglês já esteve por lá.
Conhecendo a palavra, a esfinge dará
Aquilo que precisa para a carta encontrar.
Além do poema, a segunda dica trouxe também a fotografia do que parece ser um armário pertencente a algum guarda-volumes da capital paulista. Apesar de pouco reveladora, a imagem e as pistas reveladas até agora já são o suficiente para ter uma ideia de onde o tal tesouro de Francis Drake está escondido.
Você pode conferir as atualizações da caça ao tesouro no perfil do Twitter criado especialmente para a brincadeira. O usuário @PortadordoFogo faz referência ao historiador fictício Emanuel Fischer, que apareceu no vídeo que iniciou a campanha. O terceiro enigma foi prometido para às 15 horas desta sexta-feira.

L.A. Noire: edição especial de jogo do ano pode chegar em novembro

Img_normal
Rumores sobre a chegada da Game of the Year Edition (edição especial de jogo do ano) de L.A. Noire tem surgido desde o início desse mês. Entretanto, parece haver algo mais concreto agora.
Segundo afirma o site Eurogamer, seu equivalente tcheco (Eurogamer Czech) confirmou com uma publicadora local que a “edição completa” do jogo deve chegar em algum momento de novembro. Trata-se da mesma janela de lançamento que havia sido originalmente cogitada. Resta esperar por algum movimento oficial da Rockstar — embora o silêncio da produtora deva durar ainda algum tempo.
A versão GOTY (Game of the Year Edition) de L.A. Noire marca a chegada do game para o PC. Quanto às versões para PS3 e Xbox 360, é bastante provável que Rockstar e 2K empacotem, juntamente com o game original, todos os DLCs (conteúdos para download) lançados até o momento. Fique ligado para mais novidades aqui no Centro dos Games Brasil.

Street Fighter X Tekken

Street Fighter x Tekken é o crossover que todo fã de jogos de luta sempre sonhou em ver — perdendo apenas para um utópico confronto entre Ryu e Scorpion. Desde que o título foi anunciado, a expectativa em torno do encontro dos dois universos sempre permaneceu alto, algo que a Capcom vem mantendo com seus pequenos vídeos de revelação de novos personagens.
Img_normalDurante a Tokyo Game Show, o estúdio aproveitou a badalação para apresentar alguns dos competidores que estarão no jogo. Ainda que muita gente já tenha matado a charada com as poucas dicas presentes nos teasers, a apresentação de Zangief e Rolento do lado de Street Fighter e a dupla Lilli e Heihachi para Tekken apenas contribuiu para que o alvoroço aumentasse.
No entanto, os lutadores não foram o grande destaque da conferência da desenvolvedora japonesa no evento. Após mostrá-los ao público, foi a vez de a empresa revelar o Pandora Mode, um sistema que irá fazer sua estreia em Street Fighter x Tekken e que tem tudo para acabar com as estratégias definitivas de combate.
Laços de amizade
Como pôde ser visto no trailer divulgado na TGS, o Pandora Mode funciona como uma espécie de sacrifício que um personagem realiza para fortalecer outro. Ao derrubar um de seus lutadores, o outro entra em um estado de frenesi que torna seus ataques muito mais poderosos, além de fazer com que barra de especial fique infinita. É como se a derrota de seu companheiro liberasse o demônio interior de cada guerreiro.
É claro que, para deixar tudo mais equilibrado, existem limitações para que essa Caixa de Pandora seja aberta. Só é possível dar a vida por seu parceiro caso você já tenha perdido mais de 75% de sua vida, o que faz com que um pequeno indicador apareça na tela. Ao ativá-la, uma pequena animação faz com que o combatente que restou assuma um visual mais sombrio e violento.
Na prática, trata-se de uma versão melhorada do X-Factor de Marvel vs. Capcom 3, ou seja, os atributos de ataque e defesa dos personagens são melhorados, o que os transforma em máquinas de combate. A barra de especial infinita é a maior prova disso, pois isso permite que você libere toda sua força sem qualquer tipo de restrição.
No entanto, é preciso saber administrar todo esse poder. Por mais que você se transforme em um monstro assassino, o Pandora Mode só permanece ativo por um determinado período de tempo, que deve ser muito bem aproveitado. Quando o contador zerar, seu personagem automaticamente morre, independente do quanto de energia lhe restou.
Desse modo, é preciso não apenas gerenciar muito bem os poucos segundos disponíveis como realizar ataques e combos certeiros, pois qualquer deslize pode desperdiçar sua última chance de vencer. O grande ponto positivo é que isso deve deixar os campeonatos mais acirrados e menos previsíveis — o que levará a plateia à loucura.

Desenvolvedora de God of War busca designer com experiência em “mundos abertos”

Img_normal
Anúncios de emprego são quase sempre a ponta de qualquer iceberg. É sempre difícil saber exatamente do que se trata, mas nem por isso elas deixam de chamar a atenção. Dessa vez foi aSony Santa Monica que deixou muita gente com a pulga atrás da orelha. Embora não se saiba nada sobre os objetivos pós God of War 3 da empresa, uma vaga aberta recentemente indica que pelo menos uma parte da equipe trabalha atualmente em um título inédito.
A companhia californiana está envolvida atualmente com um “novo projeto ainda não anunciado”, e procura por um designer de fases sênior. Mas não fica só nisso. Qualquer observador mais atento perceberá no anúncio postado no site Gamasutra que “experiência em desenvolver ou contribuir para o desenvolvimento de um jogo de ‘mundo aberto’ é considerado um extra”.
Mesmo correndo o risco de embarcar em algo ainda bastante etéreo, não é difícil considerar que a empresa anda por outros caminhos além de God of War… Caminhos bem menos lineares, por assim dizer.
Img_normal
Resta aguardar por qualquer movimento oficial da Sony. Fique ligado no Centro dos Games BRASIL para mais novidades.