Archive for the ‘ Sem categoria ’ Category

De blog ao Site!

Seguinte leitores!

Resgatei esse blog do limbo para informa-los que um novo projeto esta por vir.

Não posso falar muito sobre o mesmo, porém melhorias serão feitas e um novo nome esta por vir. Não será mais CentrodosGamesBr, mas também será um site de notícias sobre games.

Espero que gostem, aguardem.

Em breve aqui o link* Continue lendo

Ratchet & Clank: Full Frontal Assault para Vita atrasada

https://i2.wp.com/i49.tinypic.com/2yulu0y.jpg

Nós pensamos que era estranho que a versão Vita de da última Ratchet & Clank jogo (que era uma parte da iniciativa da Sony CrossBuy / CrossPlay) não lançar no mesmo dia que o jogo PS3. Agora, ele foi adiado ainda mais.

O jogo Vita, que deveria lançar em janeiro, já foi adiada para uma “Primavera 2013” inespecífico data. No Blog do PlayStation, a SCEA produtor Greg Philips escreve:

“Como muitos de vocês sabem, quando Ratchet & Clank: Assault Full Frontal lançado para o sistema PS3, em novembro passado, anunciou que o PS Vita versão estaria saindo mais tarde, em Janeiro de 2013 para garantir a melhor experiência de Ratchet & Clank portátil possível.

Nossos amigos da gigante Tin têm trabalhado dia e noite para trazer jogo PS3 da Insomniac para o sistema PS Vita e fornecer aos nossos fãs com um grande jogo. Embora o atraso original tem nos ajudou a fazer o jogo melhor, ainda precisamos de mais tempo para levar o jogo até os padrões esperados pelos nossos fãs.

A fim de fazer isso, a data de lançamento de Ratchet & Clank: Assault Full Frontal para PS Vita se mudou para Primavera de 2013. Percebemos que esse atraso pode ser decepcionante para os nossos fãs, mas por favor, saibam que estamos fazendo o nosso melhor para conseguir o jogo em suas mãos o mais rápido possível. ”

Como um gesto de desculpa para o atraso, a Sony está a oferecer a todos aqueles que compraram o jogo para o PlayStation 3 para download gratuito de Ratchet & Clank: Deadlocked, para ser doado ao ataque frontal completa para Vita lança.

Fonte: Blog PlayStation

Borderlands 2 DLC Fornece mudanças de figurino

Você acha que a ideia de ajustar a aparência do seu personagem em um jogo de tiro em primeira pessoa atraente? Você joga Borderlands 2? Você tem dinheiro? Então, considere-se a pessoa mais sortuda da galáxia conhecida. Borderlands 2 jogadores agora podem baixar 15 skins de personagens novos para o jogo.

Os jogadores podem escolher entre 15 skins (incluindo chefes), cada um categorizado sob o domínio, a loucura, e temas supremacia. Independentemente de qual tipo você pegar, você vai ter que desembolsar US $ 0,99 cada.

Se você é um detentor temporada pass, você vai ter que pagar como todo mundo. Estas transferências não são uma parte do acordo.

Bungie ajuda um menino encontrar o seu sorriso novamente

Um fã de Halo jovem que sofreu um transplante de fígado de nove horas foi tratado com uma visita surpresa de Bungie e uma série de presentes.

O pai do menino, que passa a linha de alça “fiscal_” postou uma galeria de imagens do menino e seus agradecimentos. Presentes incluído um cartão assinado por membros do estúdio, uma camisa Halo, e, o mais impressionante, uma réplica em tamanho real do capacete de Carter de Halo: Reach. Pai diz que seu filho está se recuperando bem, e que os presentes eram um reforço de humor grande em um momento difícil.

O pai também cortar qualquer pais back-sede fora na passagem, dizendo que seu filho não jogar a série M-rated, mas que ele ama o personagem de Master Chief e figuras da série de ação. Pai diz que o menino só assiste trechos do jogo, quando ele está com seus pais.

 

[Via Reddit]

A ESA conclui a sua discussão jogo violento Vídeo Com VP Biden

A Entertainment Software Association, juntamente com outros representantes da indústria de videogames, emergiram do debate de hoje dos jogos de vídeo e sua relação com a violência armada, com o vice-presidente Joe Biden.

Após a recente tragédia em Connecticut, o presidente Barack Obama nomeou o vice-presidente Joe Biden a cabeça de uma força tarefa que foi criada para analisar a violência armada nos Estados Unidos. Biden está reunindo recomendações para reduzir a prevalência da violência armada nos Estados Unidos, e apresentá-las ao presidente Obama na terça-feira. Para construir estas recomendações, Biden é ter discussões com grupos variados e indústrias, a fim de ver de todas as perspectivas. Hoje, Biden falou com a indústria de jogos de vídeo.

A Imprensa Associada está relatando que durante a discussão de duas horas ESA CEO Michael Gallagher apresentou uma série de estudos científicos independentes que encontraram nenhuma relação causal entre videogames e comportamento violento, e apontou que, apesar de jogos de vídeo a ganhar popularidade nas últimas duas décadas, violento crimes entre os jovens têm estatisticamente reduzido.

Biden iniciou a reunião dizendo: “Eu vim a este encontro sem julgamento”, mas ele foi rápido em acrescentar: “Vocês todos sabem os julgamentos de outras pessoas fizeram.” Biden reiterou o objectivo das conversações, lembrando os representantes da indústria de jogos de vídeo que eles não estavam lá para apontar dedos e bodes expiatórios atribuir. “Nós estamos procurando por ajuda”, disse Biden.

Não está claro se ou não essa discussão terá influência sobre as recomendações de Biden ao presidente na terça-feira. Agora, a expectativa é de que as propostas de Biden vai chamar para verificação de antecedentes universais de todas as vendas de armas e uma proibição armas de assalto e revistas de alta capacidade de munição.

Crédito da foto: AP

Namco planeja abrir rede de restaurantes nos Estados Unidos

Conhecida por criar “Pac-Man” e alguns dos fliperamas mais famosos do mundo, a Namco abrirá um restaurante temático de games em Chicago, nos Estados Unidos.

O local, que promete ser um “destino-conceito de entretenimento”, funcionará como um protótipo para uma rede de restaurantes em diversos outros locais, segundo fontes ligadas à Namco Bandai em entrevista ao site Polygon.

“Não é segredo para ninguém que estamos explorando diversos modelos de negócios novos e estudando o futuro do entretenimento externo por alguns anos. E nosso plano inclui um restaurante chique com elementos de entretenimento”, explicou o presidente executivo da Namco Entretainment, David Bishop, ao site.

Por ora chamado de Nível 256 – em referência aos últimos níveis dos “Pac-Man” e “Dig-Dug” originais -, o restaurante está sendo criado em parceria com um chefe de Kansas City que é dono de uma grande variedade de bistrôs europeus nos Estados Unidos, informou o Polygon.

“Esperamos anunciar algo em breve. O projeto ainda está em um relativo estágio inicial de desenvolvimento”, afirmou Bishop.

Acabou de vez: produção do PlayStation 2 é interrompida em todo o mundo

Após anunciar o fim de novas remessas do PlayStation 2 para as lojas, a Sony revelou que está interrompendo a produção do console em todas as suas fábricas mundiais. Sendo assim, está decretado o fim do ciclo do console, que deixará de ser vendido permanentemente assim que os estoques existentes no varejo forem encerrados.

O aparelho, lançado em 2000, teve um dos maiores ciclos de vida da história dos vídeo games e foi um dos maiores sucessos dessa indústria no Brasil. Após o lançamento de dois modelos diferentes, a Sony seguiu em frente com o PlayStation 3 e agora prepara a chegada de seu aparelho de próxima geração. Então, nada mais natural que encerrar o ciclo de nosso velho amigo.

Franquia GTA já vendeu 125 milhões de unidades

A contagem regressiva para a chegada de Grand Theft Auto 5  já começou, mas, enquanto isso não acontece, a Take-Two revela números que mostram o quanto a série ainda faz sucesso entre o público. Conforme o diretor-executivo da companhia, Strauss Zelnick, a franquia já vendeu 125 milhões de unidades.

Ele afirmou ainda ao Gamespot que, desse montante, GTA 4 é responsável por 25 milhões de unidades desde 2008, ano de seu lançamento. Entre setembro de 2011 e outubro de 2012, e levando em conta todos os títulos existentes, foram vendidas 11 milhões de unidades.

O segredo do sucesso, aponta Zelnick, está no fato de que GTA não é uma série anual e não apresenta um período determinado de tempo entre um lançamento e outro. “Propriedade intelectual que tem lançamento anual parece bater no muro e nós não queremos nossa propriedade intelectual batendo no muro”, garantiu.

Fonte: Gamespot

Dead Space 3

Terror a dois

O que é preciso para fazer um bom jogo de terror? Embora não haja uma fórmula exata para criar a atmosfera ideal, a Visceral Games e a Electronic Arts parecem ter encontrado o caminho do sucesso com a série Dead Space. Os dois primeiros jogos mostraram que é possível criar um clima tenso sem deixar a ação de lado, dando vida a uma das franquias mais assustadoras desta geração. Mas será que essa experiência vai se repetir?

Quando Dead Space 3 foi anunciado, muita gente torceu o nariz ao ver que um modo cooperativo havia sido adicionado à campanha. Afinal, como o terror que nos conquistou nos dois últimos títulos iria se repetir com alguém ao nosso lado? Por mais que tentássemos ser otimistas, a adição de um companheiro ressuscitou o fantasma de Resident Evil e sua “evolução” de Survival Horror para um shooter. Mas será que a saga de Isaac Clarke vai ser pelo mesmo caminho?

Img_normal

Mais que um “AAA”

Se esse é seu medo com Dead Space 3, o produtor do game garante que não há o que temer. Segundo Steve Papoutsis, a ideia de reformular a série com a adição do multiplayer na campanha principal não vai alterar aquilo que fez da franquia um enorme sucesso. Na verdade, ele garante que isso vai apenas engrandecer e melhorar aquele universo ainda mais, quebrando as barreiras dos blockbusters atuais. Tanto que a própria desenvolvedora já considera um título um “AAAA”, ou seja, um projeto ambicioso e muito maior do que aqueles que eles fizeram até agora.

Para isso, no entanto, foi preciso traçar uma linha bem definida sobre o que poderia ser alterado e quais características deveriam permanecer imutáveis com a adição desse segundo personagem. Ainda que a Visceral afirme não trabalhar com estereótipos de gêneros, como terror e ação, Papoutsis garante que todas as peças usadas para construir a série Dead Space continuam incólumes.

Img_normal
Isso faz com que o estúdio não se apegue a características de um tipo específico de jogo, mas àquilo que é necessário para criar uma boa sequência. Como aponta o produtor, o segredo está exatamente naquilo que todos os fãs adoram e presenciaram nos títulos anteriores: a atmosfera intensa e pesada, uma narrativa abrangente e uma dose de ação empolgante — tudo isso temperado com doses exageradas de terror, tensão e luta por sobrevivência.

Em Dead Space 3, contudo, teremos uma pequena diferença nessa equação. Somado a tudo isso, a Visceral preparou um multiplayer cooperativo que muita gente acredita não combinar com o clima pesado que a trama da série apresenta. Afinal, como manter a mesma essência quando o foco na solidão e no desamparo pode simplesmente sumir?

Marcas de guerra

Faltando pouco menos de três meses para o lançamento do game, não é segredo para ninguém que a grande novidade é a estreia de John Carver, um ex-soldado do governo da Terra que se alia a Isaac Clarke na luta contra os Unitologistas após sua família ter sido morta por Necromorphs.

Img_normal
O ponto é que, como Papoutsis aponta, o personagem é muito mais do que apenas um companheiro para Isaac. Mais do que simplesmente ajudá-lo a combater os “zumbis do espaço”, ele possui seus próprios dilemas e demônios interiores. Desde o princípio, ele foi construído como alguém complexo e com uma importância enorme para toda a trama — tanto que sua personalidade está sendo trabalhada em outras mídias, como nas histórias em quadrinhos.

Mas o grande segredo da produtora para fazer com que um modo cooperativo faça sentido dentro da proposta da série é colocar esse segundo personagem como a origem de algumas das situações assustadoras que os jogadores vão encontrar. Para isso, a Visceral preparou experiências diferentes dependendo de quantas pessoas estão participando da história.

Img_normal
Caso você seja alguém que prefere seguir sua jornada sem ninguém ao seu lado, saiba que a boa e velha atmosfera claustrofóbica dos jogos anteriores estará de volta, sem nenhuma grande alteração em sua essência. As situações de tensão com base na solidão voltam a se repetir e os fãs conservadores não terão do que reclamar.

Por outro lado, as coisas mudam consideravelmente de figura quando Carver entra em cena. Não que isso signifique que o medo dará lugar à ação desenfreada, mas o modo cooperativo oferece um tipo diferente de experiência que somente quem estiver ao lado de um amigo vai poder experimentar.

Mente alucinada, perigo real

Ver sua mulher e seu filho serem mortos por Necromorphs não foi a única tragédia na vida do soldado. Juntamente com tudo isso, ele ainda teve a infelicidade de entrar em contato com o Marker, o que faz com que ele carregue uma série de consequências por toda a sua vida — principalmente psiquiátricas.

Img_normal
A principal delas, como já vimos nos jogos anteriores, é a alucinação. Isso faz com que sua mente crie grandes armadilhas ao longo de todo o jogo, gerando situações que somente quem avançar pelo modo cooperativo vai viver. Segundo Papoutsis, o multiplayer consegue expandir a história e inserir sequências não existentes no single player. Isso não significa, porém, que quem for jogar sozinho vai ser prejudicado, já que o desenvolvimento da história e seu final são os mesmos para todos. O que muda é o que acontece no meio dessa jornada.

Tudo isso porque as alucinações de Carver têm um peso muito grande dentro da jogabilidade. Quem estiver controlando-o vai se deparar com cenas e inimigos que não aparecerão na tela de Isaac, criando experiências diferenciadas.

Em uma demonstração testada pelo site VG24/7, os jogadores se depararam com uma sala aparentemente vazia. No entanto, para o soldado, o local reservava a aparição de bonecas fantasmagóricas que se comportam como uma versão macabra de seu filho morto. É claro que ele não reage bem a isso e começa a disparar contra as criaturas — tudo isso enquanto quem está comandando Isaac fica sem entender o que está acontecendo.

Img_normal
O maior problema é que as alucinações não têm hora para chegar, podendo afetar o personagem a qualquer momento, incluindo naqueles em que ele precisa estar atento ao seu redor. Em determinado ponto, por exemplo, Clarke precisa enfrentar um grupo de Necromorphs enquanto Carver tenta lutar por sua própria sanidade.

Para Papoutsis, é isso que faz com que o modo cooperativo de Dead Space 3 seja tão diferente do que outros títulos fazem. Em vez de ampliar a ação, ele serve para deixar a agonia da incerteza ainda maior, criando uma variação da atmosfera que vimos nos jogos anteriores. Embora ainda seja muito cedo para fazer qualquer afirmação sobre a qualidade do game, a solução encontrada pela Visceral é promissora e pode reinventar a forma com que a jogatina cooperativa interfere na experiência.

No limite

Como se não bastasse diminuir as dúvidas dos fãs, o estúdio ainda promete trazer algo ainda mais grandioso que seus antecessores e outros jogos. Para dar conta de tudo isso, o produtor garante que teremos uma trama extensa e voltada exatamente para fazer com que o jogador tenha vontade de revisitar aquele mundo mesmo após ter finalizado o modo single player. De acordo com Papoutsis, será a campanha mais longa de toda a série.

Ele também garante que os jogadores não terão do que reclamar da parte visual, tanto que, segundo ele, uma das metas da equipe de desenvolvimento é fazer com que Dead Space 3 seja lembrado como um dos títulos que levou os consoles ao limite.

Fonte: VG24/7GamespotNeoGAFPlayStation Blog

Budokai Tenkaichi 2 ficou de fora de coletânea por ser diferente dos outros

CENTRODOSGAMESBR

Dragon ball z budokai tenkaichi 2

A Namco Bandai explicou a ausência do segundo game da série em Dragon Ball Z Budokai HD Collection, pacote que traz para o mundo da alta definição o primeiro e terceiro títulos da franquia. De acordo com a empresa, a sequência ficou de fora por ser a mais diferente dos três, adicionando elementos e tornando-se mais do que apenas um game de luta.

Segundo Jason Enos, diretor de marcas da Namco Bandai, a ideia era mostrar o título que firmou as bases da série e aquele que se tornou seu ápice. Por isso a escolha pela primeira e terceira edições, que são bem parecidas e trouxeram uma unidade para o pacote.

Dragon Ball Z Budokai HD Collection chega no final do ano para Xbox 360 e PlayStation 3.

Fonte: Shack News