F.E.A.R 3

 

M.E.D.O. em primeira pessoa

A franquia F.E.A.R. é uma das principais referências quando o assunto são jogos de terror. O título se diferenciou da maioria dos jogos de tiro em primeira pessoa ao misturar com muita propriedade gêneros como ação e o terror.
Agora, a série chegar a sua terceira edição e — sob a tutela de uma nova desenvolvedora, a Day 1 Studios substitui a Monolith — promete assustar ainda mais os jogadores. Desta vez o destaque fica por conta da campanha multiplayer cooperativa.
Mas será que F.E.A.R. 3 conseguirá manter o clima de terror mesmo com a adição de uma campanha cooperativa? É difícil pensar em um jogo de horror no qual você é acompanhado de um amigo durante todo o percurso.
A série Left 4 Dead pode ser um exemplo a ser seguido: o combate contra hordas de zumbis não sofre nada com a presença de outros jogadores ao seu lado. Porém, o título prima por um clima mais frenético, um terror baseado no pânico e não no suspense. Ciente disso, a Day 1 Studios, responsável por F.E.A.R 3, assustará os jogadores de uma forma um pouco diferente.

Gerador de sustos
F.E.A.R. 3 promete momentos de muito terror e para isso contará com o “generative scare system” (sistema gerador de sustos). O tal sistema é aplicado diretamente no script e na inteligência artificial dos inimigos, criando cenas imprevisíveis repletas de pavor. Dan Hay, produtor do jogo, revelou que o sistema fará com que o título se adapte a sua forma de jogar, criando novas formas para assustar o jogador.
Assim, a campanha single player trará um tipo de experiência, enquanto a forma cooperativa trará outra totalmente diferente. Todavia, esta diferença — apesar de radical — é aplicada em detalhes da história e da própria jogabilidade.
A ênfase está nas mudanças “sutis”, isso porque diferentemente de Left 4 Dead, F.E.A.R. 3 possui um foco muito maior na história do que no estilo de jogo. Assim, o “sistema gerador de sustos” reorganiza o cenário a cada partida, criando um clima de desconfiança no jogador, que não sabe o que se esconde atrás de cada objeto.
Desta forma, ao entrar em um determinado local, a configuração do cenário será aleatória, mudando a cada partida. Se na primeira vez você encontrou um inimigo escondido atrás de uma estante, na segunda vez ele pode surgir de outro lugar, pegando o jogador totalmente desprevenido.Img_normal
Dan Hay explica que após a primeira incursão o jogador ganha um falso sentimento de segurança, pois você sabe exatamente o que vai acontecer. Porém, em F.E.A.R. 3 isto não vale nada, haja vista que todas as partidas são “únicas”, ou seja, trarão configurações inéditas.
E as surpresas  não se restringem apenas a posição dos inimigos. Estas mudanças sutis, também podem incluir elementos como a presença de corpos, membros e outras coisas sinistras espalhadas pelo ambiente.
Outro elemento que ajudará muito na concepção deste clima de terror é o fato de que os inimigos podem surgir de qualquer lado. Isso mesmo, em F.E.A.R. 3, o terror não surge apenas na sua frente, ele pode emergir nos flancos ou até mesmo nas suas costas.
Além disso, a Day 1 introduziu um sistema de “cobertura” de 360°. Assim, basta pressionar o botão para o personagem se esconder atrás de uma barreira. O sistema é inteligente e detecta de onde vem o perigo, colocanco o jogador em posição adequada no cenário.

Dupla implacável
Como já comentamos, F.E.A.R. 3 terá suporte para partidas multiplayer cooperativas. Um jogador assume o papel de “Point Man”, o protagonista da série, enquanto o segundo comanda Paxton Fettel — irmão de “Point Man” e antagonista do título original.
Mas a diferença entre os dois personagens não fica  apenas no nome. A jogabilidade dos dois é substancialmente distinta: “Point Man” é o exemplar tradicional, já Fettel (que é um fantasma) traz novos poderes e possibilidades.
Uma forma simples de entender a diferença entre os dois é compará-los ao protagonista de BioShock. “Point Man” seria a mão direita (que empunha as armas) e Fettel a mão esquerda (que dispara os poderes plasmid).
“Point Man” contará com um arsenal de armas poderosas, além de um efeito de bullet time (a famosa câmera lenta). Como Fettel é um fantasma seus poderes são todos de origem sobrenatural e incluem telecinese e até mesmo a capacidade de “possuir” os inimigos — controlando-os como marionetes.
Ma no final das contas só saberemos o quão assustador F.E.A.R. 3 realmente é quando o jogo chegar às lojas, no dia 24 de maio.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s